segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

CHEGARAM AS FÉRIAS, MAS A BRINCADEIRA CONTINUA!!!

OLÁ PESSOAL!
A BRINQUEDOTECA BRINCANDO SE APRENDE ESTÁ EM FÉRIAS DEPOIS DE UMA JORNADA LONGA EM 2011!
 MAS CONTINUAREMOS NOS FALANDO NO BLOG GALERA!!
ABAIXO TRAGO ALGUMAS DICAS PARA BRINCAR, REFLETIR E SE PREPARAR PARA O ANO LETIVO QUE TEREMOS.

PARA COMEÇAR INDICAMOS INSTRUMENTOS MUSICAIS.
BRINCANDO E MUSICANDO DESENVOLVEMOS INTELIGÊNCIAS IMPORTANTES PARA A ALFABETIZAÇÃO DAS CRIANÇAS, HABILITAMOS PERCEPÇÕES COMO RÍTMO E TEMPO, QUE APRIMORAM A ATENÇÃO, CONCENTRAÇÃO E O PENSAMENTO ABSTRATO.
PRECISAMOS INSERIR A EDUCAÇÃO MUSICAL NA ESCOLA.



ENTÃO VAMOS LÁ PRODUZIR INSTRUMENTOS MUSICAIS COM MATERIAL RECICLÁVEL.
ESSES INSTRUMENTOS TEM ORIGEM INDÍGENA, AFRICANA, EUROPÉIA.


PANDEIRO



De origem árabe, o pandeiro, inicialmente, consiste de um aro de madeira, com pequenas aberturas - as soalhas - e se tocava de modo simples, com batidas de mão para marcar o tempo, ou como complemento de dança, principalmente a cigana. Tornou-se conhecido também na Europa, sendo popularmente utilizado na Itália e Espanha, e até alcançou as orquestras, na execução da ópera Preciosa, de Weber. No Brasil, quando surgiu o choro, no final do século passado, o pandeiro veio dar o toque final ao ritmo marcante e brejeiro, inicialmente executado ao piano e instrumentos de corda e de sopro.
Materiais: 1 prato de vaso, 8 tampinhas achatadas e arame
Como fazer
1- Peça para um adulto abrir quatro fendas nas laterais do prato de vaso, usando uma serrinha manual (dando um espaço de 8 a 10 cm entre uma fenda e outra).
2- Com um prego, faça um furo acima e um abaixo de cada fenda.
3- Fixe um pedaço de arame nos furos de cima e perfure o meio das tampinhas achatadas de garrafa.
4- Prenda o arame nos buracos de baixo, fixando bem as tampinhas.
Como tocar Toque na seqüência que mostra a figura: primeiro bata o dedão, depois a ponta do dedo-médio, o punho e a palma da mão.
Como tocar: use a convenção:
dedão 1
ponta 2
punho 3
tapa 4


MATRACAS


As MATRACAS são instrumentos de ritmo e acompanhamento de dança e cantos, quase sempre relacionadas com atos litúrgicos em substituição da campainha, uma vez que esta, nem sempre era permitida em determinadas cerimónias. Existem MATRACAS de diversos tamanhos, sendo os espanhóis grandes entusiastas deste instrumento. Como curiosidade, na Espanha existem MATRACAS tão grandes, que têm de ser tocadas mecanicamente.
MATERIAL DE CONSTRUÇÃO
Cartão, pano ou plástico forte e platex
FERRAMENTAS E ACESSÓRIOS
Tesoura e cola de contacto

EXECUÇÃO
Essencialmente as MATRACAS são duas tábuas unidas por uma dobradiça. Se utilizares vários retângulos (30 X 4 cm) colados uns aos outros, consegues uma estrutura forte e sonora. Numa das extremidades aplicas o pano ou o plástico forte, que tem a função da dobradiça. Se quiseres aumentar a sonoridade das MATRACAS, cole na extremidade livre no interior, dois retângulos de platex (4 X 3 cm). A cola de contato deve ser dada nas duas superfícies para colar, esperando cerca de 10 minutos, antes de efetuares a junção das duas peças. Nunca tenhas pressa de acabares o instrumento que estás  construindo.

DECORAÇÃO
Uma simples sugestão… utiliza adesivos, para colorires as partes exteriores das MATRACAS.
COMO TOCAR
Pega nas MATRACAS pela parte média. Agora executa um movimento idêntico ao do bater palmas ao ritmo da música.

CHINCALHOS


 A rapaziada portuguesa que vinha do campo para a cidade, aproveitava as tampinhas das bebidas para fazer este instrumento. Como curiosidade nos AÇORES as tampinhas são substituidas por “soalhas-pedaços de ferro” e em vez de chincalhos chamam-lhe “SISTRO”. São parecidos com uma fisga, isto é, tomando feitio de um “V”.
MATERIAL DE CONSTRUÇÃO
Cartão, pregos e caricas.
FERRAMENTAS E ACESSÓRIOS
Tesoura, martelo e cola

EXECUÇÃO


Se você reparar na fotografia dos chincalhos, ele tem a forma de uma pá, onde existe uma pega e um sítio mais largo onde vais pregar as tampinhas. Deves colar várias tiras de cartão para ficar com a consistência devida, de modo a aguentar os pregos. As tampinhas devem ser furadas com um prego mais grosso do que aquele que vais utilizar para as fixares ao cartão. O tamanho e o número de tampinhas que vais utilizar é variável. Não te esqueças de tirar o vedante que existe no interior da tampinha, porque sem ele, obténs uma melhor sonoridade.
DECORAÇÃOCom canetas de feltro podes decorá-lo ao teu gosto.COMO TOCARNada mais simples. Chincalhos ao ritmo duma cantoria. A Música tem uma importância vital, no equilíbrio do teu crescimento. Com ela você aprende a saborear a vida.

GENEBRES


Tradicionalmente, o GENEBRES é feito de madeira rija, que lhe dá uma sonoridade forte e aguda. Em Portugal ele aparece na zona raiana da Lousa,(Castelo Branco). Nessa zona, os estudiosos da matéria afirmam ter sido importado de Espanha onde é conhecido por CARRASQUIÑA (carrasquiña, lê-se carrasquinha), dança popular espanhola do século XVIII). Em Portugal, o GENEBRES é tocado por homens, numa festa religiosa em homenagem a NOSSA SENHORA DOS ALTOS CÉUS, que tem lugar no mês de Maio.
 Uma curiosidade dessa dança, é que os homens estão vestidos de mulheres.

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO
2,4 m de tubo plástico, 30 cm de cana seca, 2 m de cordel, canetas de feltro velhas.
FERRAMENTAS E ACESSÓRIOS
Serra, furador, tesoura, berbequim com broca de 3 mm e lixa nº150
EXECUÇÃO

Começe por cortar o tubo plástico (tipo PVC) em vários tamanhos, onde o maior tenha, por exemplo, cerca de 30 cm. Depois vai reduzindo o tamanho em cerca de 2cm. Corte 10 tubos. Se utilizar estas medidas, gaste cerca de 2,10 metros de tubo, mais o desgaste da serra. Assim o maior terá 30cm e o mais pequeno 12cm. O GENEBRES tem duas cordas: uma de pescoço (este instrumento toca-se pendurado ao pescoço) e outra de mão, destinada a esticar o GENEBRES. Do tubo restante, corta as duas cordas com cerca de 10cm cada. Agora, utilizando um berbequim (cuidado se for elétrico) começas por furar o tubo mais pequeno. Estes furos destinam-se a passar a corda que  vai os unir. Para que os tubos não fiquem juntos uns aos outros, tens de utilizar um separador. Corta pedaços de caneta de feltro com cerca de 1cm cada. Não te esqueças de tirar o feltro da caneta. Finalmente para montares o teu GENEBRES, basta enfiares o cordel pelos tubos, colocando um separador de cada lado, entre cada um deles.
DECORAÇÃO
Podes utilizar fita plástica de várias cores ou … quem sabe és tu.
COMO TOCAR
Pendura uma das cordas ao pescoço. Com uma das mãos pega na outra e estica-o ao longo do corpo. Com o auxílio da cana, toca-o como se fosse um reque-reque.



                                             Revista do Professor Sassá



PAU-DE-CHUVA ou TOREM



O pau-de-chuva é um instrumento musical da América do Sul. Tradicionalmente, são feitos do miolo de um cacto. Primeiro, os espinhos retirados e fincados novamente na polpa do cacto. Em seguida, o cactos é deixado no sol para secar -- com os espinhos dentro dele. Depois, no interior do tronco de cacto coloca-se pequenas pedras e as aberturas são seladas com pedaços de madeira.

Do que eu preciso?
- Tubo de papelão (pode usar o de rolo de papel toalha, mas um tubo mais longo como o que vem em papel de presente é ainda melhor. Você também pode colar dois ou três tubos de papel toalha para fazer um tubo mais longo.)
- Caneta hidrocor
- Cerca de 60 pregos de 2,5 cm
- Fita crepe
- Papel
- Grãos de arroz e/ou feijão (crus)


1. Tubos de papel tem uma forma espiral. Use a caneta para pintar pontos a cada centímetro, por todo veio espiral do tubo. Mark the Tube

2. Coloque um prego em cada ponto marcado no tubo. (Tenha o cuidado para que os pregos não atravessem o outro lado do tubo). Você vai precisar de cerca de 30 pregos para cada rolo de papel toalha. Push in the Nails



3. Passe uma fita crepe em volta do tubo para segurar os pregos no lugar.

4. Corte dois círculos de papel um pouco maior que o furo central do tubo. Cole um dos círculos em uma das pontas do tubo. Cubra o círculo com fita crepe para selar.

5. Coloque um bom punhado de grãos de arroz ou de feijão dentro do tubo pelo lado aberto. Feche esse lado com uma mão e, com cuidado, vire o tubo. Adicione mais grãos até que goste do som. (Feijões produzem um som mais grave e arroz, um som mais leve.). Tape the End

6. Coloque o segundo círculo de papel sobre a abertura do tubo e sele bem com fita crepe. 

7. Seu pau-de-chuva está pronto. Vire-o e ouça o barulho da chuva.

Fonte: http://www2.bioqmed.ufrj.br/ciencia/Pau_de_chuva.htm

 

COMO DIZEM: QUEM CANTA, SEUS MALES ESPANTA...



CANTEMOS UM 2012 BEM DIVERTIDO, BRINCANDO, APRENDENDO E CONSTRUINDO FELICIDADE NO DIA-A-DIA!






Um comentário:

  1. Oi amoree!! Estou muito contente com a conquista dos meus 300 seguidores, e comemorando esta emoção, te ofereço um SELINHO DE AGRADECIMENTO. "Porque vc faz parte dessa conquista!". Junto com o selinho tem brindes escolares que se vc desejar receber, é só deixar um comentário com seu e-mail, para que eu possa enviar.
    Grata pela amizade. Beijos.

    ResponderExcluir